quinta-feira, 14 de abril de 2005

Erasmo X Everaldo

O tempo esquentou na Câmara Municipal, na sessão de ontem.
Indignado com a demissão de 10 diretores de escolas municipais pela atual administração, o vereador Erasmo Maia (PFL) fez um discurso inflamado condenando o que chamou de "prática stalinista" do secretário de Planejamento Everaldo Martins e "falta de compromisso com as bandeiras democráticas", da secretária de Educação Lucineide Pinheiro.

Segundo Erasmo, os diretores demitidos haviam sido selecionados de acordo com Lei Municipal e Diretrizes assumidas pela Prefeitura de Santarém com o Programa “Escola Campeã” e seus nomes foram referendados pela Comunidades Escolar, através de votação Democrática. Erasmo acusou os dois secretários de estarem querendo "adotar o 'Paredão' na Educação em Santarém".

Citando o jornal “O Impacto”, o líder da oposição disse que Everaldo está sendo apelidado de Che Guevara e pediu aos redatores daquele semanário que não repitam isso, pois segundo ele "é uma ofensa à memória de Che Guevara fazer qualquer paralelo, mesmo em tom de crítica de um revolucionário do quilate de Che Guevara com Everaldo. Melhor seria se referir a ele pelos codinomes de Adolf Hitler ou Benito Mussolini", finalizou.
A vereadora Odete Costa (PT) não gostou da forma como Erasmo se expressou e reagiu prontamente.

Comentário do blog: começou o clima de disputa para as eleições 2006. Estamos na era da disputa Ma-Ma (Martins/Maia) pela hegemonia na política local. O clima era bem parecido na época da disputa Ron/Ron (Ronan Liberal e Ronaldo Campos).

Um comentário:

Regina Lúcia disse...

O clima de disputa pode ter até começado mas a população de Santarém não é boba nem nada, chega de fazer fita seu Erasmo, levantando a bandeira dos fracos e oprimidos.
Agora que Erasmo está do outro lado (o da oposição ) já começou a fazer campanha. Mas um conselho pra ele, respeito é fundamental principalmente quando se fala de Educação.....