quinta-feira, 1 de setembro de 2005

O Frenesi de Fagner

A felicidade corre sem parar
Bela é uma cidade velha
Na velocidade a tarde leva o teu olhar
Longe descansar na estrela
E um corpo passa por mim
Água do rio na areia
Adormecendo assim
Esta pedra em mim
E meu leito clareia
Fosse paixão frenesi
Doce ilusão moça bela
A solidão mora aqui
E a cidade é sem fim
Qual a tua janela
Tudo igualTal e qual
Fosse paixão.
"FRENESI" (Fausto Nilo-Petrúcio Maia-Ferreirinha)
Disco: ''BELEZA''
Comentário do blog: de repente meu deu saudade de Fágner, cuja coleção tenho toda em vinil (são mais de 300 bolachões, a maioria MPB, que guardo em minha casa). Frenesi é uma dessas músicas que marcaram minha vida, pois quando vivi na Europa entre 1988 e 1991, resolvi me arriscar numa empreitada maluca: saí da Grécia na minha volta ao Brasil, mas acabei aceitando o convite de um amigo alemão de passar por Frankfurt, para 'ganhar uns trocados" como garçon. Acabei lavando pratos num restaurante grego, cujo cozinheiro era um turco chamado Hussein!!! Voltava triste para casa, pois não era o que eu queria, e Fágnerm me fazia companhia, enquanto eu mirava do outro lado da rua o campus da Universidade Goethe. Era um Frenesi...
(Quem sabe o Nélson Mota ou o Pedrinho da 94, desencavam qualquer dia desses essa pérola do arigó...)

Um comentário:

Mirika Bemerguy disse...

Parabéns, pela "refundação" do blog, pensei até que seria "revitalização" ou seja restituir à vida, dar mais vigor...vê se não paras tanto tempo tá?
Não sei se sabes, mas sou apaixonadíssima pelo Fagner, tenho lembranças maravilhosas da minha vida com suas músicas.
Estou adorando também essas tuas histórias do PT, só espero que não seja apenas como essa música do Fagner que diz:" ...não é coisa de momento, raiva passageira. Mania que dá e passa feito brincadeira, o amor(no teu caso PT) deixa marcas, que não dá pra apagar..."
Beijocas