domingo, 2 de setembro de 2007

A volta do Bazar Brasileiro

Neste domingo tenho um encontro com o passado. Estarei retornando aos estúdios da Rádio Rural, à noite, no comando do programa cultural que criei há 22 anos juntamente com o grande amigo Dornélio Silva (foto abaixo à esquerda).
Bazar Brasileiro foi um espaço cultural importante no rádio santareno na década de 1980. Era um programa dominical com 5 horas de duração nas noites de domingo, que abria espaço para a cultura regional com música de qualidade, entrevistas com artistas da terra, poesias e muita informação. Era uma época sem internet e com muito idealismo.
A idéia do programa surgiu depois de uma conversa com o Jota Parente (foto abaixo à direita), diretor de programação da Rádio Rural àquela época. Eu já havia consolidado a carreira de repórter depois daquela estréia atabalhoada, e resolvi apostar minhas fichas num programa de rádio diferente.
Santarém vivia um momento de efervescência cultural com a criação das secretarias de cultura, estadual e municipal. Era uma época de realização de festivais de música, semanas de poesia e de um crescente movimento teatral e folclórico. Faltava um programa de rádio que abrisse espaço para essa cultura.
No final de 1984 havia um programa na Rádio Rural, aos sábados, chamado “Canta Brasil” que era apresentado pelo Jota Parente. Eu adorava o programa que ele fazia por idealismo, destacando músicas da MPB com pequenos comentários sobre sua importância no contexto musical. Mas as várias ocupações de Parente o fizeram desistir de continuar produzindo o programa. Fui até ele e me dispus a continuar o programa. Parente gostou de ver que um jovem de 22 anos gostava de MPB e se dispunha a produzir um programa sem patrocinador, num horário esquecido aos sábados e me deu crédito, liberando o programa para mim.
E foi minha primeira experiência como locutor de rádio (no jornalismo, minha participação era como repórter e redator). Gostei da coisa e resolvi ousar mais. Alguns meses depois procurei o Parente e pedi para ocupar o horário da noite de domingo, que não tinha um programa específico. Quando terminava a jornada esportiva aos domingos, o sonoplasta do horário ficava rodando uns LPs da Rádio Neederland (da Holanda, parceira internacional da Rural) com um programa enlatado que tinha músicas clássicas. Era um horário morto, desperdiçado. Só um louco como eu para querer ressuscitá-lo.
Apresentei a idéia de um programa cultural com entrevistas ao vivo de artistas locais, música de qualidade, informação e humor. Imaginei fazer um programa diferente em que eu pudesse conversar com os ouvintes, que acreditávamos serem em sua maioria do interior. Inspirado no estilo do programa Som Brasil apresentado pelo Rolando Boldrin na TV Globo (foto à esquerda), a proposta do programa era estabelecer um diálogo como se o locutor estivesse num balcão de uma mercearia atendendo seus "clientes". Aí vi a capa de um disco do Moraes Moreira (foto abaixo, à direita) lançado àquela época e adotei o nome do LP: Bazar Brasileiro. Tinha tudo a ver.
Enquanto eu discutia o programa com o Parente, Dornélio Silva tinha tido a mesma idéia de usar o mesmo horário, mas sem uma proposta definida e conversava com o gerente da Rural, Eduardo dos Anjos. Quando Parente e Eduardo se encontraram souberam das propostas dos dois lados e propuseram que nós dois trabalhássemos juntos na proposta. Como nossa relação pessoal era boa a simbiose foi perfeita e nascia um programa gostoso de fazer e de ouvir. Eu era a emoção e Dornélio a razão. Dupla imbatível.
Entre 1985 e 1988, apresentamos mais de 150 programas sempre aos domingos de sete à meia-noite! Entrevistamos quase todos os artistas locais e alguns nacionais que passavam por aqui para algum show. Mantivemos no ar a apresentação de poesias que nos eram enviadas por gente simples do interior e comentávamos as notícias do Fantástico (Globo) que assistíamos num televisor no estúdio, além de destacarmos as informações do jornais dominicais que circulavam em Santarém (O Liberal, Diário do Pará e A Província do Pará).
Em 1988, Dornélio voltou à Belém e eu fui morar na Grécia. O movimento cultural na cidade não queria perder o espaço e a Rural deu um jeito de manter o programa no ar com a mesma filosofia. Muita gente boa passou por lá comandando o Bazar Brasileiro, que saiu do ar em 1993! Eduardo dos Anjos, Jair Pedroso, João Otaviano Mattos, Anselmo Colares e Jérter Resende, foram alguns dos “sócios” do Bazar Brasileiro nesse período.

O desafio agora é retornar com o programa repaginado, numa época em que a internet faz parte de nossa vida e a cultura regional vive um momento de decadência. Para essa empreitada convidei o amigo Ormano Sousa, jornalista e professor (na foto acima, ao meu lado, nos estúdios da Rural), que foi um fã do programa à época e agora terá a chance de produzi-lo e apresentá-lo comigo. O horário já não será de 5 horas de programação, pois a Rádio Rural encerra sua programação dominical às 9 da noite, mas no acordo que tivemos com o diretor da emissora, padre Edilberto Sena, dependendo da resposta do público e do patrocínio que pretendemos buscar, podemos “esticar” o horário da rádio se for necessário.
Hoje à noite, na estréia, vamos apresentar a proposta do programa, que pretende entre outras coisas, resgatar o imaginário cultural da região, através de um concurso de "causos", abrindo espaço para que pessoas do interior e da cidade contem histórias e lendas de suas localidades. Para hoje, estamos tentando levar ao estúdio, nada mais nada menos do que Renato Teixeira (foto) o autor de “Romaria” que está em Santarém para encerrar a Feira da Cultura Popular na praça de São Sebastião. Se não for possível a presença dele ao vivo, já acertamos pelo menos uma entrevista gravada com o compositor paulista que está comemorando 40 anos de carreira.
Convido todos a sintonizar, hoje, o Bazar Brasileiro, às 19h30, na Rádio Rural, logo após a jornada esportiva. E quem estiver fora da cidade e não conseguir sintonizar pelo rádio, pode ouvir o programa na internet acessando este link: http://radiorural.v10.com.br/

16 comentários:

Anônimo disse...

Fale Jota, estava lendo o artigo da volta do Bazar Brasileiro, legal, parabéns!

Vou dar um jeito de fazer algumas participações quando possível!!

Dornélio Silva

Jota Ninos disse...

Dornélio,

A novidade é que agora teremos a internet à disposição na nova versão do Bazar. Poderás participar pela Net, ouvindo e interagindo! E quando passares por Santarém, estás INTIMADO a participar ao vivo...
Abraços!

Anônimo disse...

Mano,
Obrigado pelo convite. Vejo que você está se encaminhando para onde o seu coração manda. Que bom!
Sei da sua imensa capacidade. Sinto muito pelos dribles que lhe dei no asfalto em frente ao Colègio Frei Ambrósio. Ainda bem que você desistiu de ser jogador
de futebol. Agora vou me deleitar do seu melhor. Sucesso meu irmão e lembre-se que estarei sempre do seu lado para o que der e vier.
Beijos no caração,

Anderson Dezincourt.

Anônimo disse...

Beleza, Ninos. Parabéns por estar de volta. Passarei o Ano Novo aí em Santarém, na casa do meu irmão.
Gostaria muito de rever os amigos.
Um abraço.

Joana Silva, jornalista, por e-mail.

Anônimo disse...

Você sabe que sou seu admirador. Que Deus esteja lhe guiando nessa reestréia. Dê um grande abraço no Ormano.
Sucesso pros dois.

Darlisson Rego Maia, por e-mail

Anônimo disse...

Desejo um bom trabalho, especialmente porque começou a ser planejado no aeroporto de Santarém, uma idéia pós-moderna de planejar rádio no aeroporto.

Manuel Dutra, por e-mail

Anônimo disse...

Sr. JNinos,

fui ouvinte do Bazar Brasilero por muitos anos e sempre gostei desse maravilhjoso programa. era legal a partcipação de cantores da terra. acho que o sr. esqueceu um nome de um dos apresentadores que entro no seu lugar. era o aquele rapaz que foi gerente do Ibama, o Nilson. sabe quem é?

abraços

José Caetano Alves, mapiri

reginaldo disse...

Parabéns pela estréia amigo, gostei do formato do programa. Bom não sou de Santarém e não tive a oportunidade de ouvir esse programa anos anteriores mas concerteza deu o que falar, agora com nova roupagem vai ser um point do entreteniomento todos os domingos, ainda mais com a parceria feita com o meu grande e admirável professor Ormano Sousa. Parabéns e pode deixar que mais um dos milhares ouvintes da rádio rural estará ouvindo o Bazar Brasileiro.
um forte abraço...

Anônimo disse...

Legal Ninos! Tentei acessar agora a Rádio Rural, mas dá erro...
Boa sorte no programa pra vc e o Ormano!
Beijão da amiga,

Cleuma Lima

Anônimo disse...

Pô J, perdi o Bazar por não ter consultado a tempo o e-mail, mas fico feliz pelo teu rertorno e do Ormano.
Domingo vou ligar, abração.

Frank de Oliviera - Alenquer

Anônimo disse...

Aaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiii, que saudade do Bazar Brasileiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Pôxa, que bom se eu pudesse ouvir, participar como antigamente...
Bom feriado para vc e bjs.

Ana Ilma - de Manaus

Anônimo disse...

Ninos!
Muito legal a volta do programa no domingo à noite.
Boa sorte, sucesso e muitas vendas no Bazar.
Essa dupla é imbatível.
bjão.

Socorro Carvalho

Anônimo disse...

Poxaaaaaa...
Meu sonho agora é ouvir a Rádio Rural.
Ouço a 94, a 100, a Rádio Ponta Negra, mas não consigo ouvir a Rural, por que?
Assim que conseguir te ouvir eu aviso.
Grata pelo carinho. Sucesso!
Bjk

Benna Lago - de Manaus

Anônimo disse...

Fale jota! O link não presta, não estou conseguindo acessar o programa! Infelizmente não estou conseguindo te ouvir. Que pena! Mas estou tão feliz, por este momento! Diga para os ouvintes que estarei sempre ligado, ligado e feliz por este momento. É fundamental recordar coisas boas de Santarém.
Caramba! Estou aqui com José Maria Martins (bigorron), lá de Almeirim e os filhos dele, Josélia, sua esposa, e mais outra cambada das Almeras (Almeirim). Mandam abraços para a turma lá da Calha Norte, em breve estarão por lá. Infelizmente, a internet (site Rádio Rural) não foi feliz com a gente.
Boa sorte Ormano, sucesso! Que no próximo domingo consigamos falar e participar numa boa!! Abraços, e sucesso.

Dornélio Silva - conversa pela internet, no domingo, durante o programa Bazar Brasileiro.

Anônimo disse...

Olá Ninos.
Parabéns pela volta do Bazar (e com você e Ormano, deve estar tudo de bom). Pena que não consegui sucesso em ouvir pela internet. Tentei bastante. Vou tentar novamente hoje. Se der certo, te
aviso. Um grande abraço e até a próxima semana ai em Santarém. Ganhei de presente de aniversário de Lília uma viagem em plena época do Sairé (só lembrando, meu aniversário é dia 12, mas chego em Santarém dia 13).
Nos veremos, com certeza.
Até breve.

Anselmo Colares - de Roraima, por e-mail

Anônimo disse...

Jota Ninos

Gianni gia soy o FOTIS TZORTZIS eimai. O odontiatros poy soy ekane kapote ta dontia stin Ellada. Thesalloniki. (Dorina) Otan mathenes ti glosa. Ti ginete?
Grapse moy nea soy. Eida oti egines diasimos apo ta liga portoygezika poy katalaveno. An den eisai toso Poliasholos Pes moy to E-mail soy na ta poyme. Se pethimisa. To diko moy e-mail einai
25510@maibox.gr kai 5557@mail.gr
Eho Polla nea na soy Po
Den katalava kala pos mporo na epikinoniso me sena