segunda-feira, 10 de setembro de 2007

A poesia sensual em pessoa

Remexendo meus arquivos, encontrei um escrito poético que não era meu. Me recordei que foi um presente de uma colega de profissão, a pequena Socorro Carvalho (foto) que esconde dentro de si uma mulher do tamanho do mundo. Seu talento tem sido revelado no Blog do Jeso, onde desde o ano passado tem apresentado poesias sensuais que deixam qualquer marmanjo fissurado!

A poesia abaixo me foi enviada como presente de aniversário e a meu pedido, para postar aqui no blog. Mas simplesmente acabei me esquecendo por conta da vida atribulada! Reparo o erro com um pequeno atraso de quase dois meses!

A radialista Socorro Carvalho é uma dessas pessoas que, sorrateiramente, chega e te rouba um suspiro. Poetisa de mão cheia - "Sou a poesia da vida, escrita entre frases de amor!", confessa ela em sua página no orkut - é daquelas pessoas que você olha e não imagina o quanto seja capaz de transbordar em talento, tamanha discrição e simplicidade.

Em seu blog na internet ela posta muitas de suas poesias e de outros autores. Vale uma visita. Alguns títulos podem ser lidos nestes links: Segredo, Boto Cor de Rosa, Amor Sacana, Desnudar-te, Templo de Amor, Tua Língua, Teu Sabor, Santarém, Tapajós, lá mesmo no Blog do Jeso.

Socorro fala quase sempre de um amor fugidio, vivido sofregamente entre quatro paredes. Amor visceral, louco, profundo. Suas palavras são orgásmicas, e tocam fundo qualquer um que as lê, sem precisar que lhes sejam dirigidas.
Esse é o papel da poesia.

NOSSA LOUCURA


Sem pudor

Arranco tua roupa

Roubo de ti

O beijo mais louco.


Paixão

Excitação

Inspiração

Corpos rolando ao chão.


Sem vergonha

A nudez vadia

Despe os conceitos

Veste nossa ousadia...


Então a loucura se faz dona de nós.


Socorro Carvalho
----------
Como disse um internauta comentando no Blog do Jeso: Socorro é do Carvalho!

Um comentário:

mirika disse...

Amigo, sou "fanzona" da Socorro também. Ela me deu um presente, poesia intitulada "Saliência" é simplesmente uma loucura, não póst pois é particular.