terça-feira, 3 de maio de 2005

Guerra amazônica

Essa deu no blog do Jeso Carneiro:

"Pará versus Amazonas
Não é a primeira vez que ouço falar nisso. O advogado e jornalista CelsoFurtado, agora residindo lá, acaba de reforçar a informação.

No Amazonas, Manaus em particular, cresce a cada dia um sentimento de repulsa, diria latente preconceito contra os paraenses que ali moram. São alvos principalmente de piadas preconceituosas, agressivas, difamatórias.

Nos programas policiais de TV e rádio naquela cidade, segundo Celso Furtado, paraense é sinônimo de ladrão, assaltante, criminoso. "Eles são bairristas e preconceituosos", diz o advogado. "No Pará, nunca vi nada igual contra os amazonenses".

Surpreende-me esse tratamento. Morei em Manaus quase 15 anos. Foi lá que concluir meu curso superior e, à época, anos 1980, não havia esse clima. É certo que sempre existiu a rivalidade Pará versus Amazonas, como há entre Rio e São Paulo, mas nada agressivo. Nada comparável às proporções atuais."

Comentário que postei lá mesmo:

"Tapajós de fora
Escreve Jota Ninos sobre a nota postada aqui a respeito do clima hostil aos paraenses em Manaus.

Entretanto, acho que não deve haver uma repulsa aos santarenos, uma vez que até o prefeito de Manaus é originário daqui... Além do mais, a criação do Tapajós, se um dia sair, deve ser com grande apoio dos amazonenses, já que a classe política de lá há muito apóia a proposta. Assim, acho que quando a repulsa é externada aos paraenses, não tem a ver com nós... Somos tapajoaras!! "


Um comentário:

Mirika Bemerguy disse...

Jota, dá uma olhadinha nesse final da tua frase "...não tem a ver com nós...Somos tapajoaras!!"